O Salone de Milão 2016

Abril chegou e com ele o SALONE. A maior vitrine do design de interiores do mundo. Ou o lugar e época mais fácil para quem quer encontrar arquitetos brasileiros, como disse alguém e eu achei engraçado.

Salone, que delícia chegar!

Como diz o meu marido, nada mal ter uma profissão em que se manter atualizado envolve uma semaninha por ano em Milão com as amigas. Comendo bem, vendo coisa bonita e tomando vinho. Arejando a cabeça. Amo e recomendo. Sair da realidade é importante para a gente ver os projetos de longe, reavaliar prioridades, repensar relações, abrir a cabeça. Importantíssimo numa profissão em que é muito fácil se envolver tanto nos problemas do dia a dia das obras que, quando nos damos conta, não temos tempo para pensar, e criar.

Coragem e tênis confortável, e vamos lá!

Como sempre, e como este blog é mais para eu organizar minhas ideias e referências mesmo, seguem algumas coisas que me chamaram a atenção, sem nenhuma pretensão em detectar tendências e sem ordem específica:

Ilha de madeira de 48 mil anos com resina, sensacional.

Logo na entrada demos de cara com a mesa mais incrível que já vi na vida. Foi na loja 1920R, ou R1920, não tenho certeza da ordem no nome. Era um tronco que foi desenterrado, com idade estimada em 48 mil anos, e que foi recomposto como num quebra-cabeças, com as partes entre os pedaços de madeira preenchidas com resina transparente. O acabamento impressionante, você mal percebia a mudança de material se passasse a mão de olhos fechados. A ideia foi usada em mesa de jantar, mesa lateral, ilha para a cozinha. Em maior ou menor grau, indo desde a mesa quase toda de resina só com alguns cacos de madeira, até uma mesa quase inteira de madeira apenas com os veios preenchidos em resina. É óbvio que nem todos os troncos eram fósseis mais velhos que a humanidade, mas a ideia é inovadora e fica lindo demais. Novidade de verdade, num ano em que a feira ficou conhecida por melhorar conceitos já existentes, mais do que lançar novos.

O que fazer com a varanda gourmet?

De dez anos para cá teve início um fenômeno jabuticaba, daqueles que só existem no Brasil, que mudou todo o conceito de área social nos prédios de apartamentos brasileiros: a dita “varanda gourmet”. É assim:  o apartamento vem com uma varanda imensa, quase maior que a sala. A construtora vende como área útil, mas é uma área que sai, para a construtora, bem mais barata que a área da sala propriamente dita. E absolutamente todo mundo paga para fechar a varanda com vidro, fazendo com que ela passe a fazer efetivamente parte da sala. Bem maluco para quem está vendo de fora. E assim, de uma sacanagenzinha tipicamente brasileira, ganhamos um novo ambiente, meio alien, mas que pode vir a ser o mais querido e bem usado do apartamento todo.

Varanda quase maior que a sala - comum nos apartamentos de hoje

O que fazer com este ambiente então? Depende das suas necessidades e depende também do formato da varanda.

Primeiro temos que decidir os aspectos estruturais: quão integrada será a varanda com a sala? A cozinha também se abre para a varanda? Se você for com certeza fechar a varanda com vidro ( o que primeiro tem que ser confirmado com o condomínio e aprovado em assembleia ), arranque logo a porta da sala para fora e suba o contrapiso da varanda, que vem alguns centímetros mais baixo para que a água escoe para o ralo sem entrar na sala, de modo que todo o piso novo fique nivelado. Isto torna a varanda parte de um grande ambiente social. Se a cozinha for integrada com a sala, ela entra na dança também: sem portas pra varanda, mesmo nível, mesmo piso.

Tudo integrado!

Se forem envidraçar a dita cuja, é hora de fechar o vidraceiro, logo após o piso pronto: as vidraçarias estão com este novo nicho de fechamento de varandas a todo vapor. Vale pechinchar. Normalmente o condomínio aprova o fechamento em assembleia e todo mundo opta por aquele modelo que vai fechando um por um e possibilita que a varanda fique toda aberta.

Vidro fechando a varanda gourmet

As varandas gourmet vêm, como o próprio nome sugere, quase todas elas, com churrasqueira ou pelo menos a base da churrasqueira. Se vocês gostam de churrasco, obviamente a churrasqueira será o centro das atenções. E muitas destas varandas são finas e compridas fazendo que, necessariamente, elas se desenvolvam em torno de uma bancada para a churrasqueira, muitas vezes com outra bancada de apoio na frente, uma mesa com cadeiras ou mesmo a continuação da bancada como mesa, e mais um paisagismo legal ou uma TV pra animar a turma.

Se você gosta de cozinhar junto com os amigos e curte a ideia de ter uma “cozinha gourmet” só sua, separada da bagunça da dupla empregada+crianças, este é o local onde você pode escolher entre um cooktop, uma chapa, uma grelha, forninho para pizza se couber, uma cubinha de apoio, chopeira, adeguinha, frigobar estiloso, enfim, apetrechos que variam com o costume da família, além de jogos de utensílios, pratos, copos e talheres especiais para dias especiais.

Não esquecendo que, caso tenha sido retirada a porta entre a sala e a varanda, e o apartamento não vier com um duto que tenha ventilação forçada, é melhor comprar uma coifa bem potente para a churrasqueira, senão é cheiro de churrasco pela casa inteira. De preferência daquelas coifas de empresa de coifa mesmo, que, normalmente, são bem mais potentes e silenciosas que as coifas de “empresas de fogão”, mas tem pra todo gosto e bolso.

Cuidados dos talentos gastronomicos do chef  local resta decorar o resto do espaço. Se for daqueles estilo linguiça cabe mais um sofá ou poltronas na outra extremidade, paisagismo, talvez com uma parede verde para aumentar o espaço, acabamentos que podem ser mais rústicos ou misturando rústico com moderno e pronto. Não tem muita dúvida.

Achei que esta foto tem um clima gostoso...calmante...

Ok, 90% dos donos de varanda gourmet são gourmet. Mas e quem não acha que tem a ver churrasqueira na varanda e não está nem aí pra ter mais um espaço de comer? Já decoramos varandas com soluções criativas, sempre focando no espaço do qual o apartamento for carente.

Brinquedoteca é uma das coisas que às vezes fazem falta e podem caber na varanda deixando as crianças perto dos pais em momentos sociais e, com alguma criatividade, deixando brinquedos organizados e criando um clima de “jardim de inverno” bem gostoso, com tardes jogando jogos e desenhando com luz natural, lição de casa pertinho dos pais que estão na sala para criaturinhas carentes, um pouco de verde e estímulo fora do ipad para esta geração tão tecnológica.

Com criatividade a varanda vira um cantinho pra criançada

Temos que pensar bem na armazenagem de brinquedos neste caso, porque senão toda a sala fica com cara de bagunça. Não que casa com criança fique realmente arrumada…

A varanda também pode ser escritório, bem iluminado,  e nada melhor que trabalhar ou estudar assistindo ao por do sol. As varandas dos quartos, aliás, dão ótimos home offices também..

Incrível este escritório na varanda!

Mais um escritorinho simpático. Porque não?

Ou pode simplesmente ser mais um ambiente de estar, mas com um clima mais rústico, com paisagismo, peças orgânicas quebrando um ambiente de estar interno muito modernão. Já coloquei lareira ecológica na varanda, fica uma graça.

Decoração inteligente de quartos de criança

Poucas coisas me deixam mais empolgada do que planejar quartos de criança.

Fui uma menina tímida, que passava as férias desenhando, e meu quarto era meu santuário. Por isto sou fascinada por projetos de quartos. Planejamento dos espaços e conforto são minhas prioridades, até mais do que o estilo. Hoje em dia, ainda por cima, com a tendência da integração total de ambientes que impera na arquitetura residencial, o quarto é o único local em que realmente temos momentos de privacidade e relaxamento.

É nada menos do que o ambiente onde passamos um terço das nossas vidas!

E acho fascinante como temos o poder de, através da decoração do quarto, influenciar e ajudar a moldar  cabecinhas em formação. Crianças são muito sensíveis ao ambiente que os cerca. Suas cabeças são esponjas, absorvendo e processando informações e sensações numa velocidade muito superior à dos adultos. Mudanças, mesmo sutis, de cor e layout podem gerar tensão, mudanças no padrão de sono e dos estudos, com uma facilidade que não temos na decoração para adultos.

O quarto tem que refletir, além dos gostos da criança e dos pais, a sensibilidade e o nível de energia da criança

Primeiro, temos que concentrar o projeto em atender de maneira inteligente às necessidades das 3 ações que a criança faz no quarto: dormir, estudar e brincar.  Com as medidas e um estudo legal de circulação e iluminação conseguimos atender a estas necessidades com tranquilidade. Depois vem, contudo, a parte mais difícil e que exige mais da nossa criatividade e sensibilidade.

Qual o nível de energia desta criança? Ela é o tipo de criança que se beneficiaria de um ambiente cheio de cores primárias e brinquedos à vista, ou nestas condições ela teria dificuldade em se concentrar na lição de casa e pegar no sono e seria mais feliz num quarto relaxante  com cores frias e suaves?

Qual o ambiente ideal para brincar? Depende.

Este ano tive o privilégio de ajudar a redecorar o quarto de uma menina apaixonante portadora de necessidades especiais. Pesquisei com carinho, qual é o jeito que esta criança em especial vê o mundo? Como ela processa as cores? E a luz?  Qual o nível de informação visual que  faz bem a ela, e qual é o limite a partir do qual começa a atrapalhar? Qual é a posição para ela estudar aprendendo o máximo possível? Qual a melhor configuração da cama para ela ter um sono gostoso e sem interrupções?

Ideia muito legal, cores à vontade

Descobri que, em países culturalmente mais avançados, existem até arquitetos que trabalham exclusivamente com projetos para portadores das mais diferentes necessidades especiais. Especialmente crianças, porque cada pequeno estímulo dado a um pequeno com autismo, down ou déficit de atenção, por exemplo,  o mais cedo possível, faz uma diferença enorme na vida dele. Uma hora caiu a ficha: todas as crianças processam as informações de um jeito único, não só as especiais. Percebi que o que aprendi com estas pesquisas pode ser usado para decorar qualquer quarto de criança, afinal o jeito como cada uma sente o seu entorno é único! A pergunta é: como projetar para cada uma delas para que elas se sintam o mais confortáveis possível e atinjam seu potencial de maneira mais completa?

Brincar e aprender

Primeiro vamos pensar nas necessidades básicas:

Madeira de demolição traz calor e o padrão vazado da cama dá o ar moderno.

1. Dormir:  não vou nem entrar no tema berço ou quarto de nenê, este fica para um próximo post. Quais as opções de cama para criança? Pode ser uma cama normal de solteiro; pode ser uma bicama, ou uma cama com dois futons embaixo que sirvam para amiguinhos; pode ser uma cama maior, de viúva ( 1.20m de largura ) ou de casal padrão ( 1.38m de largura ), bem gostosa e cheia de almofadas, que brilha na decoração e dura até o fim da adolescência ou, finalmente, pode ser um beliche, mega divertido.

A ditadura do móvel branco em quarto de criança já era. AMO laca azul marinho, por exemplo.

Cores: para a madeira, o branco não sai de moda, ainda mais quando o enxoval é todo colorido. Mas a ditadura do móvel branco em quarto de criança já era. Todos os tons de madeira e todas as cores de laca estão na moda! Dá para fazer as combinações mais incríveis. Se cansar, pinta de outra cor.

E esta cama de barco?

A cama é o ponto focal do quarto

Cama de viúva e estampas ousadas, chique e divertido

Cama grande e colorida, estrela do quarto. Linda.

Vai depender de quanto a criança gosta de convidar amigos e primos para dormir com ela, vai depender do tamanho do quarto, vai depender das outras prioridades da pessoinha. De qualquer maneira a cama é a estrela principal do quarto. Bonita, funcional e bem decorada, ela é o foco da decoração.

cores relaxantes, achei uma graça

Bicama + beliche + futon, super divertido

Hoje em dia quase todas as famílias ficam entre 1 e 2 filhos, então a maioria das crianças têm quartos só para elas. Mesmo assim, quartos divididos ainda têm público cativo, quer seja entre os corajosos pais de mais de 2 em pleno século 21, quer seja por opção das crianças mesmo, porque dormir conversando com irmão é uma delícia ( aqui em casa acontece direto).

Quarto dividido: seja por necessidade, seja por escolha, é diversão na certa!

Quarto dividido II

Crianças ( e alguns adultos também ) guardam desde nenês a sensação gostosa de se sentir envolvidos, de ter limites físicos. Por isso, e também pela oportunidade de ter no mesmo espaço que a cama um espaço de brincadeiras, as camas em forma de cabaninhas, casinhas ou com dosseis fazem bastante sucesso.

Cama cabaninha para menino

Cama com dossel e futons para duas amigas

Casinha embaixo do beliche, bem fofo

Uma graça esta tenda

2. Estudar. O local de estudo tem que ser organizado e confortável. A bancada deve ter a altura ideal para não dar dor nas costas e, como as crianças crescem rápido, o ideal é que esta altura as atenda até estarem no seu tamanho definitivo na adolescência, e que a cadeira seja ajustável. É imprescindível que a postura para o estudo seja bem calculada, porque ninguém merece ver um pequeno ter dor nas costas bem na fase em que temos que criar na criaturinha o hábito de estudar!

Canto de estudos funcional e bonito

O material da escola deve ter um local de armazenagem dedicado, com separações para materiais em uso e arquivados, assim como gavetas fininhas ou caixinhas para lápis, canetas e afins. Com uma boa dose de marcenaria inteligente, podemos deixar uma parcela legal de materiais à vista, de um jeito charmoso, e ao mesmo tempo esconder a bagunça. Lugar de material é lugar de material, lugar de brinquedo é lugar de brinquedo. Nada mais difícil do que retomar a atenção numa tarefa chata depois de dar de cara com algo bem divertido.

Esconder o material x mostrar o material

Uma graça este papel de parede com molduras para desenhar dentro!

Escrivaninha fofa

Estudando juntas

3. Brincar. É a atividade mais importante. Como projetar um espaço de brincadeiras que estimule a criatividade mas que possa ficar com uma cara arrumada com facilidade?

Barraca é tudo de bom!

Primeiro: espaço de brincar tem que ter isto, ESPAÇO. Não adianta encher o quarto de cacareco e nem sobrar espaço pra criança se espalhar.

Gostei deste cantinho para brincadeiras.

Espaço de brincar

Os brinquedos têm que estar guardados em uma altura que seja acessível para a criança e que ela consiga começar a aprender a guarda-los sozinha. Uma caixa, carrinho ou nicho para cada categoria de brinquedo é o ideal.

Armazenagem de brinquedos fofa e na altura da criança

minimalista mas alegre

Fechou, tá arrumado!

Mais uma armazenagem show - tudo ao alcance do pequeno

Demais este cantinho!

AMO marcenaria inteligente. Tem pouca coisa que me empolga mais.

Em outro projeto nosso, marcenaria divertida e pensando no futuro

Neste projeto fizemos uma estante – casinha. Hoje os nichos têm caixas para armazenagem de coisas de nenê, mas no futuro eles vão ser os ambientes da casa de boneca. Amo. Penso em colocar em cada nicho um papel de parede diferente e encher de moveizinhos. Acho que vou querer brincar com esta pequena!

Modulação muito legal para menino. Amo mesa com rolo de papel.

Colorido e criativo, adorei.

AMO lousa. Acho uma delícia. Criança ama brincar de escolinha, e também é mega útil para anotar recados. Para as mães com Toc ou encanação com alergias, já fiz algumas lousas de vidro branco para serem desenhadas com canetinhas, também fica legal.

Projeto nosso com papel divertido e lousa

Cama em cima e estudos embaixo, solução esperta para ambientes pequenos

Cantinho bem usado

Mais alguns fatores a serem considerados:

Quais os hobbies que esta criança já tem? Do que ela gosta?

Conforme a criança cresce, seus gostos começam a se formar e ela passa a ter um papel mais ativo na decoração. Pode ser um personagem, pode ser balé, futebol…as preferências dela têm que ser ouvidas. É um dos motivos pelos quais não acredito em quarto de criança monocromático. O quarto tem que ter uma gama de cores que permita incluir peças coloridas sem ficar ridículo. Imagina um quarto todo bege, todo cinza. Só a mãe vai gostar, e quando chegarem os brinquedos, medalhas, bolas e afins fica uma breguice só, porque o bege total não distribui a cor.

Neste projeto nosso do quarto de uma menina apaixonada por cavalos, as medalhas reinam na decoração, penduradas no lambri estilo country finalizado com um porta fotos colorido

Iluminação: primeiro, eu sou fã incondicional de forro de gesso. Sou a favor de embutir a iluminação em 99% dos casos, a menos que o pé direito da casa ou apartamento seja bizarramente baixo. Iluminação bem distribuída entre direta e indireta, entre quente e fria, gera conforto e valoriza cada cantinho.

Ideia interessante com iluminação sensacional

O momento agora é das fitas de led, cada dia mais baratas e que valorizam um detalhe como ninguém, além do que são econômicas e geram uma luzinha ótima para ficar acesa a noite toda para os medrosinhos não temerem o monstro que mora embaixo da cama!

Prateleiras bonitas e com fitas de Led

Tecnologia:

Até uns dez anos atrás, quando fiz o quarto da minha filha mais velha, havia a discussão inflamada dos a favor e contra televisão no quarto da criança. Tenho uma novidade pra vocês: esta discussão mórreu. Criança não liga mais a mínima para TV, ela quer o Netflix no Ipad. E a criança um dia vai ter um Ipad ou semelhante, claro que vai. Alienar totalmente a criança da tecnologia numa geração em que a agilidade com estes gadgets vai ser básico não faz sentido. Limitar sim. Mas, mais do que limitar o ipad só na base da briga, acredito em estimular a criança a ter outros interesses, como ter livrinhos bem bonitos ao alcance das mãos, materiais de desenho e artesanato deliciosos colocados na alturinha dela…e claro, paciência pra brincar junto, senão não adianta nada.

Porta livros, onipresentes nos quartos que eu projeto

Materiais deliciosos ao alcance das mãozinhas

Tem mais um fator ligado à tecnologia: esta geração que está crescendo agora está crescendo conectada num nível em que há um excesso de informações jorrando por todos os lados. Hoje não corremos atrás de informação, ela despenca em nosso colo e temos que aprender a filtrar e usar só o que interessa. O quarto tem que ser um descanso para isto, um oásis mesmo.

Quarto = oásis

Projeto nosso, porta livros direto na cama

Para terminar, vamos falar um pouco de estilo. Primeiro, o quarto deve ter a alma da casa. Qual o estilo da família? Não é porque a casa é toda moderna que o quarto tem que ser de um minimalismo gelado, mas não faz sentido numa casa toda contemporânea um quarto em estilo delírio rococó.

Estiloso e bem bolado

Aproveitando a onda vintage, sou a favor de dar uma procurada em peças antigas que possam ser pintadas bem coloridas e aproveitadas no quarto, dá uma energia gostosa e aconchegante. A cara de casa de vó repaginada está bombando e sem dar sinais de enfraquecimento. E dá para misturar com peças modernas, o visual está super democrático.

Vintage e muito chique

Quanto às cores, a base nas paredes continua puxada para os acinzentados, e com eles vêm as cores que combinam com cinza: amarelo, azuis em geral, o acqua, o berinjela.

Azul da moda

Escutar a criança, dependendo da idade, claro que é pré-requisito. E também analisar se a cor que a criança gosta é muito forte para ser colocada numa área grande, como uma parede, por exemplo. Neste caso podemos usa-la numa peça chave e todo mundo fica feliz.

Toques de cor bem dosados

Visionário

Acqua = AMO

Vintage e cores ousadas

Rústico e bonito

Cama sóbria, enxoval maluco

Cinza, amarelo, espelhos. Tudo na moda.

Azul como ponto focal

Chega! Beijos a todos.

P.s. os créditos das imagens são dos autores, qualquer coisa me contatem no paula@paulapossas.com.br

TENDÊNCIAS DA REVESTIR 2015

Estou de volta depois de 5 meses de excesso de trabalho e alguns perrengues familiares. Não estava dando para encaixar o blog no meio de tanta correria, mas, agora que começou a temporada 2015 de feiras e exposições, temos que sacudir a poeira, não tem jeito!

Dando início à temporada de feiras e exposições 2015!

Fomos na Revestir esperando ver o aprofundamento das tendências de 2014 e a reação das empresas frente à crise de desânimo que assola o Brasil. Haja lançamento interessante e sedutor para fazer o brasileiro investir em acabamentos nesta fase!

Vamos lá:

O primeiro ítem que me chamou a atenção numa feira de pisos e revestimentos foi….um ralo!

Explico: ralo é, óbvio,  umas das coisas mais feias que já inventaram. Há muitos anos os arquitetos chiques trocam os ralos por grelhas lineares, mas o custo ficava proibitivo para a maioria dos clientes. Quando chega a parte dos acabamentos gastar 3 ou 4 mil num ralo de chuveiro é a última coisa que 99,9% dos clientes quer pensar.

Finalmente a popularização do ralo bonito!

Graças a uma pesquisa feita por uma universidade em Blumenau, a partir de um pedido de cliente, e que ganhou um concurso de design em 2009, o ralo oculto padronizado foi oficialmente lançado em 2011 e agora está chegando, com um preço super decente, ao cliente comum. Basicamente o ralo em si fica abaixo do nível do piso e sobre ele vai uma “tampa”, que é como um berço para um pedaço de piso cortado sob medida. Dá para fazer o caimento certinho sem stress e os vãos por onde passa a água são super discretos. Amei. Não tem arquiteto que não se irrite com aqueles ralos horríveis em banheiros caprichados. Os ralos lineares também existem em cores metálicas ou pintados, o que já existia mas está ficando cada vez mais acessível.

Peças com motivos geométricos em alto relevo: jogo de luz e sombra

Há alguns anos a Castellato lançou uma coleção de peças cimentícias com motivos geométricos em alto relevo, de clima meio anos 60/70, que ficavam lindas com uma iluminação legal. Não sei se foram eles que lançaram a moda aqui, mas foi o produto deles o primeiro que vi no Brasil. Os clientes adoraram. Este ano todas as empresas investiram nas peças retangulares, com tamanhos em torno de 90 x 30 cm  ou algo parecido, em padrões de luz e sombra que às vezes parecem ter estampas de várias cores e, quando você chega perto, é tudo a mesma cor, só jogo de volumes.

Parece estampa mas é relevo 1

Parece estampa mas é relevo 2

Parece estampa mas é relevo 3

Os porcelanatos gigantescos continuam aparecendo mas eu, sinceramente, cansei. Pra você arranjar um cara que assente uma peça de porcelanato de 3 metros de largura sai tão caro e é tão provável que quebre que prefiro pagar caro por uma pedra natural menor. Claro que os grandões são importantes para as empresas mostrarem suas tecnologias, conceitualmente a tendência permanece, mas a novidade do piso de tamanho gigante e super fininho esfriou.

Na faculdade tinha uma lenda que uma arquiteta era tão chata que levou uma viga na cabeça. Fico imaginando o que o amigo pedreiro não faz comigo se eu mandar ele colocar um piso deste tamanho.

Agora, o que apareceu DEMAIS e veio pra ficar foram os pisos com cara de metal. Todos os tons de cobre, bronze, ouro e muita, muita imitação de aço corten ( aquele que parece enferrujado ). Todo mundo fazendo sua imitação. Eu adoro, porque o corten pra mim passa uma sensação orgânica, gostosa, ele esquenta o ambiente, mesmo sendo metálico. Louco isso.

Corten fake everywhere

Ouro, muito ouro!

Óbvio que ninguém vai sair por aí colocando piso dourado na sala inteira ( ou vai? ) mas, bem usado em pontos estratégicos, sem contar ambientes comerciais, fica muito legal.

Falando em ouro, acho que estou ficando velha. Nunca pensei que fosse voltar a moda de torneira dourada, mas não é que voltou?

A volta triunfal da torneira dourada - parte 1

Ouro, ouro velho, cobre, bronze, prata escurecido, e muito, muito ouro rosado. Brilhante x fosco. As torneiras e acessórios de banheiro estão vindo em todos os tons metálicos que estão na moda nos pisos e revestimentos, objetos, enfim, os metálicos estão mesmo reinando.

Linha de acessórios de banheiro BEM bonita.

Não tem nada a ver com aquele dourado escandaloso das fechaduras e torneiras dos anos 80, é um dourado chique, discreto, muito legal. Não sei se eu adotaria num chuveiro, por exemplo, mas no lavabo adotaria fácil. Dá uma cara meio “natural” à composição, combina super com este moderno com um arzinho rústico que está usando.

Maravilhosa

Um produto que não chega a ser novidade mas este ano vi chegar em cores e padrões muito legais é o rodapé colorido. O preto, especialmente, fica muito lindo quando usado destacando um papel de parede mais forte, em um ambiente de destaque. Com certeza não é para a casa toda, já que achata o pé direito, mas quando bem usado é um show.

Rodapé preto da Santa Luzia - quando bem usado fica um show

Outras cores de rodapés também apareceram, e devem ser usadas com cuidado porque o segredo de um rodapé bem bolado é o contraste entre ele e a parede.

Outras cores da moda em rodapés - o segredo é saber lidar com o contraste

Além dos rodapés coloridos, gostei também deste fornecedor de molduras prontas para fachadas. Nada como molduras para darem uma repaginada instantânea em fachadas sem graça.

molduras coloridas - repaginação automática de fachadas e ambientes

As peças decorativas em formatos alternativos permanecem em alta, e este ano é o ano do hexagonal. Muito versátil pela enorme possibilidade de combinações, a peça hexagonal reinou, especialmente com estampas remanescentes da moda vintage.

Formatos alternativos continuam em alta, e o hexagonal é a bola da vez

Hexagonais grandes e pequenos

As pastilhas em especial ficam muito charmosas com este formato. Gosto porque renova a cara de pastilhinha básica sem perder o charme de pecinha pequena.

Variações sobre o tema hexagonal

Outra coisa que apareceu foram as estampas vintage em peças de vidro, com efeito interessante.

Estampas antigas em modernas peças de vidro

As peças intercambiáveis, com a possibilidade de serem combinadas em infinitas estampas diferentes, me deixaram louca. MUITO legal.

Combine como quiser - AMO

Os madeirados continuam a cada ano se superando em perfeição visual e na textura. Os rústicos continuam na moda, cada vez mais bonitos, e este ano vi muitas versões em branco. Eu particularmente gosto muito desta ideia. Há uns 15 anos os laminados de madeira com efeito de pátina, quase brancos, estavam no auge, e então caíram no ostracismo. Eu acho que esta volta do madeirado branco, desta vez no porcelanato de aspecto raspado, é uma volta triunfal, porque as peças estão lindas e a cor é versátil e chama uma decoração campo/praia muito interessante.

madeira rústica branca

Puxadores com couro e os tons metálicos da moda

O que me deixou tabém muito feliz na feira este ano, para terminar, foram os elementos vazados. Antigamente, quando eu queria separar ambientes com um biombo ou elemento vazado decorativo, sem ter que usar peças de concreto ou louça e argamassa, eu tinha que projetar peças em madeira ou vidro. Hoje encontramos uma variedade deliciosa de peças prontas em padrões de luz e sombra incríveis. Gostaria de ter tido esta variedade de opções há mais tempo!

Elementos vazados em alta

Chega!  Coloquei aqui elementos suficientes para mostrar aos clientes e interessados o que rolou na feira este ano e em que vale a pena investir nas obras de 2015! Até a próxima!

Tchau!!

Manual de sobrevivência para compra de pisos e revestimentos

Toda semana saio pelo menos uma vez para escolher pisos e revestimentos com cliente, e tenho que confessar : a tarefa está cada dia mais difícil. A oferta de modelos importados está crescendo em ritmo alucinante e é preciso muito bom senso e calma para escolher.

Até  o final dos anos 90 / virada dos anos 2000 existia pedra, cerâmica e madeira. E ponto. Dos banheiros azul calcinha cheios de florzinha dos anos 70/80 até os marrons ou cor de vinho com louças escuras e assustadoras dos anos 80/90, chegando ao branco total no final dos 90 em oposição a todo este peso, os lançamentos anuais eram discretos e levava-se anos para haver uma mudança de tendência.

Entre os 90s e os 2000s, os tipos de pisos disponíveis no mercado mais que dobraram: as 3 categorias predominantes  passaram a ser 7. À pedra, cerâmica e madeira juntaram-se os porcelanatos, os cimentícios, os vinílicos e as pedras sintéticas, com nomes insondáveis como Silestone, Caesarstone Nanoglass. A internet espalha as novidades instantaneamente. Surge um gigante chamado China inundando o mercado de um número maluco de genéricos em todas as categorias e as opções disponíveis crescem em ritmo alucinante.

Eis senão quando, como se já não estivesse complicado o suficiente, um material começou a querer imitar o outro. Hoje em dia é porcelanato imitando cimento, cimento imitando madeira, cerâmica imitando pedra, cimento imitando couro, plástico imitando madeira, e todos fingindo que são velhos, manchados e com desgaste digno de piso de igreja de 500 anos.

Até eu, que vou para a Europa todo ano atrás de novidades e vejo isto todo dia há quase vinte anos, fico com um pouco de preguiça. Imagine o coitado do cliente. Pensando nesta pobre criatura, então, resolvi escrever uma lista com as principais dúvidas e tendências para facilitar um pouco o processo.

Para começar do zero: aqui no escritório a orientação que eu dou, basicamente, é a seguinte:

- colocar um piso só em toda a área social. Se for um piso frio esta integração inclui a cozinha.  Dá a sensação de que a casa é maior, integra a decoração, otimiza a colocação, reduz perdas de material. Cor neutra, rodapé alto branco e está pronto.

Um só piso em toda a área social dá a sensação de integração e amplitude, além de otimizar a compra de material

- se for madeira, entrar em todas as salas, escritório, home, hall, lavabo, com o mesmo piso, com colocação passando direto sem soleira entre os ambientes; a madeira pode até entrar na cozinha em casos específicos, mas não é prática para a maioria das famílias. Eu, particularmente, tenho na minha casa de férias madeira de fora a fora e cozinha totalmente integrada, mas lá quem usa e limpa sou eu. Acho que não preciso explicar mais nada…

A madeira passeia bem por toda a área social da casa

- se for porcelanato, escolher um tamanho grande  e incluir nesta lista cozinha, copa, e até área de serviço e despensa se o preço for razoável. Tudo com o mesmo piso faz a área parecer  maior e fica mais bonito. Escritório e home podem, neste caso, receber o piso de madeira da área íntima para ficarem mais aconchegantes, ou podem ter piso frio também e um belo tapete para esquentar.

- se for mármore, limestone ou qualquer outra pedra ( granito não deixo! Muita poluição visual ), paginar em formatos bem grandes conforme as medidas da planta e pode usar até na cozinha também. Se você quiser mármore na sala e tiver um nível de TOC que impossibilite o mármore no piso da cozinha, por causa da porosidade ( tenho e amo mármore no piso da cozinha, mas muita gente tem resistência por achar que mancha fácil. Acho que é uma questão de cuidado super administrável),  colocar um porcelanato em formato, cor e textura semelhante e colocar uma soleira de mármore separando os dois.

- banheiros: escolher um material base de cor neutra e paginar todos os banheiros da área íntima com ele. Pode ser uma pedra ou um porcelanato.Porcelanato neutro vai ser, em 90% dos casos, off white, cru imitando pedra ou cinza imitando cimento queimado, tudo fosco. É o que “está usando”. Polidos estão em baixa, a menos que seja um conceito super modernoso, mas esta parte explico em seguida.

Pintura marrom destacando o branco

Piso, paredes se houver vontade, senão rodapé de meio piso ( exemplo: se a peça tem 80x80cm, o rodapé vai ter 40cm de altura), parede do box até o teto sempre. Tudo igual. Quase não uso mais azulejo. Vai o mesmo material em tudo. Não tem para que o ambiente ter mais um elemento, mais uma informação, a não ser que seja uma peça incrível e super diferente.

Monocromático de limestone e paredes com textura semelhante à pedra. Reparem na iluminação do nicho, é o ponto focal do ambiente.

Escolhe-se então um ponto focal. Pode ser uma pastilhinha linda de mármore, pedra com vidro colorido ou até madrepérola, pode ser uma pedra linda, pode ser um azulejinho vintage, e dai é só aplicar, com bom senso. Frontão, moldura no espelho, uma parede do box, nicho de shampoo, faixa horizontal na altura do nicho com o nicho em pedra….é a parte em que podemos viajar. Fica tudo padronizado, dá a impressão de coerência, mas cada banheiro tem uma surpresa, um detalhe interessante.

Criatividade e bom humor ao direcionar a vista para o ponto focal. Neste caso cimento queimado aditivado e pastilha vermelha, interessante.

O banho do casal pode ter um porcelanato mais legal do que o dos outros banheiros ou pode ter piso e paredes de pedra. Vai da vontade do cliente de destacar o banho master em relação aos outros.

Nichos de shampoo e banheira "freestanding". Amo.

Piso neutro, tela em branco.

MITO: PISO GRANDE SÓ PARA AMBIENTE GRANDE

Não adianta. O que está na moda é piso grande. Enorme.

Tamanhos enormes

Os porcelanatos estão cada vez maiores. Nas feiras os pisos gigantes chegam a beirar o limite do bom senso. Até nos grandes centros de material de construção se encontra, hoje, piso maior que 80x80cm pra tudo que é gosto. Ao mesmo tempo estão cada vez mais delgados, fininhos, chega a dar aflição.

pisos de tamanhos enormes e cada vez mais finos dominando o mercado

A verdade é: peça menor que 60x60cm, pelo menos do caso de peça quadrada, não se usa mais. E o 60x60cm só para ambientes onde a prioridade seja economizar. O que impera hoje é 8 ou 80: ou a peça é gigante ou bem pequena, pastilhinhas para fazer algum detalhe ou formatos malucos que estão chegando com tudo. Partindo deste princípio, devemos usar o bom senso para escolher o melhor tamanho, para a necessidade  do cliente, em cada ambiente.

Com um detalhe destes, a base tem que sumir para não ter briga

Os pisos quadrados, com  tamanhos como 80x80cm, 90x90cm, 1x1m ou 1,20×1,20m são apropriados para a grande maioria dos formatos de espaços. Nos banheiros pequenos, por exemplo, os empreiteiros adoooram falar pra cliente que tem que ser piso pequeno para dar menos sobra. Na verdade, é muito mais importante para o aproveitamento de material pensar na integração dos ambientes e numa boa paginação do que no tamanho da peça individualmente. Explico: é muito melhor escolher uma peça neutra grande e usa-la em toda a área molhada, por exemplo, aproveitando as quebras nos cantinhos, do que ter em cada ambiente um piso diferente e depois ter 4 ou 5 sobrinhas cada uma de uma cor.

Off white pronto para receber um elemento de destaque como esta escada

Os outros formatos, como o retangular 1.20×0.60m, por exemplo, ficam muito bonitos para ambientes com plantas bem regulares, com cantos retos, e dão uma cara diferente, é uma opção bem interessante. E dá para inventar uma paginação irregular, como em amarração ( igual tijolinho), por exemplo.

Cor neutra, composição criativa

Os porcelanatos gigantes, maiores que 1.00×1.00m, são maravilhosos, só tenho uma crítica: muitas vezes eles são tão caros que sai mais barato colocar um mármore ou limestone paginado, e para o valor percebido numa possível futura venda da casa a pedra natural será sempre aceita como mais nobre. O termo “paginado” quer dizer que você vai pagar mais caro mas vai cortar a pedra no tamanho que ficar mais bonito no seu ambiente. Eu costumo usar medidas entre 1.20mx1.20m e 1.50mx1.50m para cortar mármore ou limestone para piso, dependendo como fica a paginação ideal. Logicamente quanto maior a peça menos controle você tem sobre as manchas, já que é difícil descartar as mais manchadas ou jogá-las embaixo do tapete ( literalmente ) quando você está usando peças gigantes. É abraçar o elemento natural e pronto. Contratar uma empresa que passe um impermeabilizante e passe máquina para os rejuntes “sumirem” fica muito bom, assim como montar o quebra-cabeça mantendo a continuidade dos veios. ( Daí depende do QI do colocador, e como está difícil achar um bom… ).

P.s. para quem não sabe, limestone é a pedra da qual é feita a maioria dos monumentos e catedrais europeias. É uma parente do mármore travertino ( os dois são pedras naturais de origem calcárea ) que aqui chegou com este nome importado “porque soa mais chique”. Não confundir com Silestone, que é uma marca espanhola de pedra sintética. Existem várias cores bonitas de limestone, todas puxando para o bege, desde o clarinho até uma cor de café com leite forte.

Limestone bruto....lindo demais

O fato, qualquer que seja o material,  é que as peças grandes têm poucos recortes e interferem pouco no resto da decoração, dando espaço para os detalhes com formatos malucos, estampas ousadas …

O VISUAL ORGÂNICO CONTINUA COM TUDO

A madeira, as pedras naturais, os acabamentos rústicos e todas as imitações de materiais naturais com suas imperfeições e heterogeneidade características ( “orgânico” em arquitetês significa “que remete à natureza” ) tiveram sua ascensão nos anos 2000 em oposição ao total white que estava na moda, que todo mundo ( me incluo totalmente nessa ) amava mas que, usado com exagero, fica gelado. Era piso branco polido, vidro, inox, material frio em cima de material frio, e quando alguém inventou de misturar madeiras bem desenhadas e cheias de veios com esta tela em branco foi um show e virou uma tendência que não dá o menor sinal de estar se esvaindo.

Porcelanato bem rústico, com cara de pedra. Orgânico para esquentar esta composição em branco e preto

A questão, nesta área, é que as máquinas que estampam porcelanatos e cimentícios estão evoluindo tão rápido que a cada ano os lançamentos ficam mais fiéis ao material natural. Piso frio imitando madeira até outro dia era muito feio, e a cada ano uma marca supera a outra e eles estão ficando lindos. Os formatos, que antes eram formatos “de azulejo” e ficava óbvio que era imitação, ganharam todas as opções que realmente existem em pisos de madeira, tábuas largas, tacos, decks. As texturas estão cada dia mais sofisticadas, e até peças cimentícias para usar sem rejunte já existem ( o rejunte não nega a origem cerâmica, mas sem rejunte quem diz que é “madeira de mentira”? ).

Cimentício imitando madeira sem rejunte aparente

Fora os porcelanatos com estampa de mármore, estes não só estão cada vez mais bonitos como estão cada vez mais baratos.Qual é a armadilha então? Um piso que era maravilhoso em 2013 já pode ficar com cara de ultrapassado e mal feito em 2014, porque já lançaram um mais perfeito. Você pode ter uma casa de 5 anos e ficar encanada que seu piso está ridículo porque já houveram 5 gerações novas de pisos do mesmo tipo neste período, e a cada geração que lançam as anteriores ficam com mais cara de falsas…

Verdade ou mentira?

O que fazer para não cair nesta armadilha? Pra começar, temos que pensar na fase de vida do cliente. Entra aí a famosa “psicologia arquitetônica” ( amo! ). Qual o objetivo do cliente com este imóvel? É uma casa para a vida inteira, ou é uma “starter home” para ficar cinco a dez anos e daí mudar para uma maior? Qual o perfil destas pessoas? É mais clássico? Quem vai cuidar da casa? Tem criança e cachorro?

Tudo isto tem que ser levado em conta, sempre lembrando que o material natural não tem erro. Ele tende a ser mais caro mas não vai sair de moda, porque o valor dele sempre vai ser percebido. Quem coloca madeira de verdade no piso da casa mostra necessariamente que está fazendo uma casa caprichada, aos olhos de um possível futuro comprador. Mas claro que não adianta ter um lindo deck de madeira na piscina ( acabei de quebrar o meu, aliás, e troquei tudo por cimentício. Cansei…..) se você não tiver saco de ficar todo ano envernizando e cuidando.

Amo.Muito.

Enfim, imitar o elemento natural é tendência que chegou pra ficar, o mercado está aquecidíssimo, e eu gosto de usar, e gosto de usar escancaradamente, sem disfarce. É valorizar a tecnologia que nos permite ter peças tão bonitas, não encanar com o nível da imitação.

Padrão madeira e estampa juntas

Natural ou sintética?

COMO TIRAR PROVEITO DA MODA VINTAGE

A impressão que dá é que, de repente, todos os fabricantes começaram a fazer azulejinho com cara de ” casa de vó “.

O visual antiguinho, típico dos ladrilhos hidráulicos, sempre teve um público cativo. Entra moda, sai moda e sempre tem uns clientes que curtem, que gostam do rústico, da cara de casa de fazenda. Nos últimos dois anos generalizou. Agora TODO MUNDO quer azulejinho vintage. E TODOS os fabricantes lançaram suas versões.

Cara de velho, resistência de novo

O que é legal é que são versões estampadas em computador, e a variedade de estampas é incrível. E, se o ladrilho hidráulico original é poroso e mancha super fácil, as versões industriais são altamente resistentes e muito mais fáceis de lidar. Fica muito lindo na cozinha, e dá vida a qualquer composição.

Como ladrilho hidráulico

Minha indicação é uma só. Cuidado para não cansar. Depende muito da sensibilidade do cliente para com estampas e cores fortes. Tem gente que convive bem com estampa bem chamativa e tem gente que enjoa, é da pessoa, nós arquitetos só temos que detectar esta tendência e dar uma podada naquele cliente que está empolgado com a moda, mas que depois vai perceber que a casa dele é zero rústica e o azulejinho cara de casa de vó não tinha nada a ver.

Casa de vó repaginada no lançamento da Mosarte

Costumo dizer que, na dúvida, use só na churrasqueira e lavabo. Não tem perigo de cansar.

Cozinha com azulejinhos vintage.

PISO IMITANDO MADEIRA TEM CONFORTO DE MADEIRA?

Esta é uma boa questão, que respondo toda semana para cliente. E a resposta é:  não. Mas dependendo do material está chegando bem perto.

Os vendedores vivem falando sobre as texturas perfeitas dos pisos que imitam madeira, mas minha dica é, sempre:  pise neles descalço. Cliente que sai comigo não pode usar meia rasgada, porque vai tirar o sapato!

Exemplos de cores de laminados de madeira

A temperatura da madeira nunca será a mesma da porcelana. O piso de madeira é quentinho mesmo, não é só no visual que ele esquenta o ambiente.

O laminado é madeira com uma cobertura plástica prima da fórmica estampada. Mas embaixo é madeira. O vinil já é todo plástico estampado. O porcelanato é como pisar num prato, daqueles de comer. Você pode colocar vinil no seu quarto? Pode. Pode colocar porcelanato? Claro. Mas pisa bastante antes para ver se se acostuma com a temperatura.

Outra coisa: coisa mais feia é material imitando madeira ao lado da madeira de verdade. Sempre pense nas divisões entre um ambiente e outro e na interação do piso com móveis e armários feitos de madeira. Cuidado ao misturar cores e, quando um material for bem desenhado e cheio de veios, priorize os lisos perto dele.

Mais um aviso: os acinzentados estão super em alta, mas cuidado para não encher a casa toda de madeira cinza e depois cansar. Prefiro usar em peças menores.

POLIDO OU FOSCO?

Quando apareceram os porcelanatos, só existiam os polidos, e foi uma febre. Com o tempo os foscos passaram a dominar e agora 90% dos clientes não quer saber de brilho. Nas pedras segue a mesma tendência.

Polido - super brilhante - tem que saber usar

Os 10% dos clientes que estão pedindo porcelanato polido, hoje, acham que ele é mais prático de limpar que o fosco, o que não é necessariamente verdade. Se o porcelanato for fosco ( “matte” como chamam as lojas ) mas não tiver uma textura rústica, que junta realmente mais sujeira, não há motivo para achar que ele é frágil. Ele na verdade deixa o ambiente mais frio e briga um pouco com a decoração, então tenho usado realmente pouco, só se o cliente faz muita questão.

O porcelanato polido este ano deu uma voltada, especialmente nas cores escuras, na esteira da moda da laca brilhante nos móveis. Serve para ambientes super modernos, muitas vezes comerciais, ou para dar um tchans num hall ou num lavabo, sempre do lado de decoração bem contemporânea.

CIMENTÍCIO x CIMENTO QUEIMADO x TECNOCIMENTO

Este é outro segmento do mercado que dá muita dúvida.

Cimento queimado é moderno, é rústico, é interessante. Mas mancha e racha que é uma tristeza, além do que exige pedreiro extremamente bem treinado para ficar bem feito ( existe isso ainda? ).

Cimento queimado ou imitação?

Os cimentos aditivados ( a marca mais conhecida é o Tecnocimento ) são espalhados como o cimento queimado, mas têm aditivos elásticos que aumentam a flexibilidade do material, fazendo com que ele não tenha aquelas famosas rachaduras causadas pela dilatação com o calor e movimentação normal do terreno.

Assim como outros pisos em manta bem conhecidos, como o Fulget, o Tecnocimento tem a aplicação rápida e cobre grandes áreas. Fica bem bonito. Não é super barato e não é resistente como um porcelanato, mas tem um charme artesanal.

Já o cimentício é vendido em placas de tamanhos variados ( o mais popular é 1 m x 1 m ), bem pesadas, e tem uma infinidade de texturas e cores, hoje imitando cimento queimado, madeira e até couro com maestria. Ele se tornou muito popular em áreas externas e bordas de piscinas por suas características atérmicas ( é fresquinho de pisar mesmo que esteja 40 graus, uma delícia ), antiderrapantes e por dar acabamento perfeito em bordas de piscinas com qualquer formato.Com o tempo, no entanto, sua indústria se desenvolveu e hoje temos muitas opções lindas e super diferentes. Adoro trabalhar com cimentício.

Cimentício geométrico na parede. Bem iluminado fica um show.

É interessante, contudo, passar um produto protetor ( que eles chamam de hidroóleofugante ) para prevenir manchas. E não dá pra se iludir, cimentício não tem a praticidade de porcelanato.

CERSAIE 2014 – FORMATOS IRREGULARES CHEGARAM PARA FICAR

Não dá para falar em pisos e revestimentos sem mencionar a maior feira do mundo do setor, que este ano foi em Bolonha, na Itália.

Maior feira de pisos e revestimentos do mundo

As novidades que mais me chamaram a atenção foram as peças cerâmicas em formatos diferentes misturados, como um Tangram. O interessante é que você consegue ter uma composição única, só sua, já que cada um monta o seu quebra-cabeça do jeito que quiser. Cores e estampas variadas estão tão desenvolvidas que muitas vezes a peça parece uma foto.

Como num Tangran

E também, dentro do tema do intenso desenvolvimento da iluminação em Led, as peças que vêm com iluminação por dentro. Incrível!

Revestimento com luz dentro!!!

Composição em madeira

Os formatos diferentes imperaram e encontrei vários exemplos super criativos do uso da cerâmica/porcelana. Penso que são peças com muita personalidade e por isso mesmo pedem base neutra, onde entram os pisos foscos gigantes, ainda em alta. Os orgânicos continuam em pleno desenvolvimento. Estas três tendências permanecem sem dar o menor sinal de arrefecimento.

Formatos alternativos, composição única.

Mais uma composição estilo vintage muito legal.

As estampas cada vez mais perfeitas

COMO DECIDIR ONDE INVESTIR SEU DINHEIRO

Por fim, é importante lembrar que, num mundo em que produtos entram e saem do mercado muito rápido, é importante ter um desenho de paginação bem feito e comprar os materiais sempre com bastante sobra. Imagine só, você encontrar um piso lindo e barato, comprar justinho e depois nunca mais encontrar reposição? Acontece demais, até porque, hoje, mesmo produtos de marca podem ser made in China e você nem ficar sabendo. Marcas conhecidas são garantia de um serviço de pós venda decente, então comprar genérico só com muito cuidado.

Cuidado também com a compra impulsiva de produtos que estão “na moda”. Pense sempre em quem é a estrela do ambiente e quem são os coadjuvantes, e sempre priorize a qualidade de desenho a características menos importantes que podem um dia ficar datadas.

Espero ter ajudado vocês na dura tarefa de escolher acabamentos num mundo em fase de excesso de informação ! Coloquei aqui as questões que mais aparecem no meu escritório, e aguardo contato de quem tiver mais dúvidas, é um prazer responder!

p.s. todas as opiniões aqui escritas são unicamente minhas. Para dúvidas técnicas o melhor é sempre contatar o fabricante.

PORQUE EU AMO DECORAR LAVABOS

É verdade, eu tenho uma coisa com lavabos. Adoro. E vou explicar por que. A tendência mundial da arquitetura de casas e apartamentos é integrar toda a área social. Desta maneira, vira tudo um grande ambiente, subdividido apenas pela mobília e, dependendo do layout, painéis de correr. O lavabo é, hoje, o único ambiente social totalmente fechado e independente do resto da decoração ( tirando, em certos casos, o hall do elevador e o vestiário da piscina, o que os tornam meus xodós secundários!). Living, jantar, cozinha, cozinha gourmet ( o novo nome da churrasqueira/terraço), hall, home theater….hoje isto tudo é parte de um ambiente só, e tem que ter a decoração coordenada em um só conceito. Além do que são espaços em que ficamos longos períodos, e não podem, por isso, ter decoração excessivamente estimulante ou colorida demais.

Figura 1 – Combinação de bom gosto, dramática na medida certa

Porque eu amo o lavabo, então? Porque nele podemos chutar o pau da barraca! É um ambiente social, merecedor de destaque no projeto ( e no orçamento ) e onde a ideia central da decoração pode ser exacerbada (ou um conceito totalmente independente inventado, já que ele não tem que necessariamente combinar com nada!).

Figura 2 – Estilo Vintage sem medo de errar

O que é rústico pode ficar super rústico, e o que é moderno pode ficar super moderno, por exemplo. É aquele ambiente surpresa. A visita está lá, tomando um vinhozinho, achando sua decoração legal, resolve dar uma retocadinha na maquiagem, e…..surpresa! “Como esta pessoa é antenada”  ou “Nossa, como foi que ela pensou nisso” ! Não é pra arquiteta amar de paixão?

Figura 3 – Rústico e aconchegante

Figura 4 – Moderno e glamouroso com a cuba metálica e as variações em chocolate

Regras básicas para decorar/reformar o lavabo:

  1. LAVABO NÃO É BANHEIRO! Você não leu errado. Lavabo não precisa de azulejo, nem ralo, nem piso frio. É uma luta fazer alguns clientes mais tradicionais entenderem isto,  tem gente que ainda quer azulejar lavabo( arrepios de horror ). Nem com muito “Toc” uma criatura precisa, realmente, lavar lavabo com balde e rodo. Além disso não tem vapor de chuveiro, então não há motivo algum para impermeabilizar as paredes revestindo-as, a não ser que o revestimento seja incrível e mereça uma parede inteira. A única área que precisa de revestimento é o frontão da pia, para não entrar água que respinga quando alguém lava a mão e porque dá para fazer um frontão bem bonito, já que é uma área bem pequena e até o mais caro dos revestimentos fica um valor pagável.

Figura 5 – cores escuras e revestimento só no frontão, pode!

Figura 6 – Neste caso o revestimento é a alma da decoração, aí sim!

O piso do lavabo costumo indicar que seja o mesmo do resto da área social, para enfatizar a integração. Mesmo que seja madeira! Fica lindo.  Rodapé bem alto branco e a base está pronta.

Figura 7 – Piso seguindo o da sala e rodapé branco alto.

2.AQUI É O LUGAR PARA INVESTIR EM LOUÇAS E METAIS CAROS E MODERNOSOS

Sabe aquela privada maravilhosa que parece a proa de um navio e que custa uma fortuna? E aquela quadrada preta muito louca? São para pôr no lavabo. Banheiro que é usado todo dia tem que colocar louça branca, por questões de  higiene e saúde. Não tem jeito. Mas no lavabo vasos, cubas e torneiras podem ser ousados, mesmo que a ousadia custe um pouco do conforto ( e quase sempre custa mesmo). Ninguém vai mesmo ficar muito tempo lá.

Figura 8 – Louças e metais da moda são feitos sob medida para lavabos. Neste caso a cuba preta fosca da Deca cai como uma luva sobre a bancada de madeira bruta;

Figura 9 – Cuba mais alta tipo balde está chegando com tudo, e pede bancada mais baixa – neste caso de concreto aparente; ênfase também na assimetria da composição, tendência master nas mostras europeias este ano;

3.CORES

O lavabo é um ambiente em que você pode colocar nas paredes a cor que você gosta mas não tem coragem de por em outro ambiente. Você pode mostrar que é ousada  e antenada mesmo que você tenha uma baixa tolerância a cores fortes ou escuras em áreas com uso de longa duração.

Figura 10 – Papel doidão? Aqui pode. Destaque para o porta livros acima da privada, que graça;

É, também, o ambiente para investir em um papel de parede mais ousado. Mesmo a mais psicodélica das estampas não cansa em um local onde você fica menos de dois minutos.  No lavabo você pode mostrar como é moderna sem comprometer “o todo” da sua decoração.

Figura 11 – Papel arabesco grandão e gaveteiro todo de espelho;

Ou pode ser simplesmente chique.

Figura 12 – Revestimento de aspecto metálico em tons do ouro velho ao cobre;

Gosto muito, inclusive, de humor nas paredes do lavabo. Um papel com estampa gigante, mistura de papeis, azulejinhos com cara de casa de vó que estão bombando em todas as lojas….um toque kitsch, bem a cara de quem faz graça de si mesmo.

Figura 13 – Cores e estampas que não temos coragem de colocar em ambientes de uso diário – aqui pode;

Imagens adesivas que ocupam a parede inteira são um truque que eu amo. Nunca esqueço de uma empresa que aplica imagens em superfícies variadas em São Paulo, super legal, que tem no banheiro uma imagem de um monte de índios te olhando que você só vê quando fecha a porta e senta na privada, é muito muito divertido.

Fizemos este lavabo que tem uma parede coberta com uma imagem do parlamento alemão. Ficou sóbrio e chique, com uma surpresa.

Figura 14 – Lavabo com uma imagem do parlamento alemão, ficou lindo!

Figura 15 – Fotos cobrindo a parede, muito legal;

Figura 16 – Estampa ótica e piso de madeira. Chique sem gastar demais;

4. CUBAS

Hoje  90% dos meus clientes estão colocando nos lavabos cubas esculpidas em pedra. Explico: a cuba é montada na própria pedra, normalmente branca ( mármore ou nanoglass); cru ( travertino romano bruto, crema marfil ou limestone) ; cinza ( Caesarstone ou Silestone) ou preta ( granito );

Figura 17 – Cuba esculpida de nossa autoria, fica linda e nobre;

Figura 18 – Neste lavabo criamos a cuba esculpida em travertino bruto com uma jardineira embutida atrás, o frontão fica pronto para receber plantas!

Montamos a cuba toda quadradinha, com acabamento em 45 graus e saia cobrindo o sifão e escondemos a válvula com a pedra em ângulo ( fuja daquelas que têm uma pedra solta embaixo, porque juntam limo e ficam um horror).

Figura 19 – Outra moda que está em alta: cuba esculpida em Onix com iluminação embutida: este tipo de pedra é translucido e permite que vejamos os veios iluminados: lindo e caro;

São cubas pouco práticas para o dia a dia ( convenhamos: a pasta de dente gruda que é uma tristeza), mas lindas, porque dão uma sensação de criação orgânica, feita à mão, que nenhuma louça consegue ter.

Figura 20 – Neste caso combinamos a cuba esculpida em mármore branco com papel metálico em tom berinjela e luminárias de cristal. Glamour mesmo com pouco espaço;

Figura 21 – Estilo rústico, panelão e tijolinho, com elementos bem masculinos, como vaso quadrado e jogo de dardos. Muito divertido este banheiro!

Para complementar a cuba esculpida geralmente coloco a torneira na parede. Outro ponto em que podemos nos divertir só no lavabo. Torneira na parede joga água pra tudo quanto é lado, mas fica bem mais bonito, até porque sai do frontão e no lavabo podemos valorizar o frontão. Além do que as torneiras de paredes são lindas….e caras!

Figura 22 – Madeira, cuba bem escultural e luz. Não precisa de mais nada;

Os clientes que não fazem a cuba esculpida geralmente fazem o tampo em madeira, mais rústico, e compram uma cuba bem bonita.

Marcas como a Deca este ano acabaram de vez com a ditadura do branco e lançaram cuba e torneira de tudo quanto é cor e textura. As cores escuras ficam lindas. Chocolates, pretos e grafites, foscos ou brilhantes, dão um super destaque a um tampo rústico de madeira ou um cinza imitando cimento queimado.

Figura 23 – Cuba esculpida em pedra sintética imitando cimento queimado. Linda e atual.

Figura 24 – E esta cuba azul saindo direto do espelho com piso e revestimento em tecnocimento? É forte e indica que o dono da casa é realmente um cara moderno;

5. FRONTÃO

Frontão é o espaço que fica entre o tampo e o espelho. Ele pode ter alturas que variam de uns 10 até uns 40 centímetros e podem ser a alma de um banheiro. São o lugar pra você investir naquela pastilha maravilhosa ( nos banheiros comuns costumo combinar um revestimento especial no frontão e no nicho para shampoo, dentro do box) ou naquele revestimento super caro que nunca daria para colocar em uma área maior.

Figura 25 – Tampo de madeira com frontão de madrepérola: nobre e rústico ao mesmo tempo. Estamos usando demais.

Figura 26 – Mais um rústico chique;

6. ILUMINAÇÃO

A luz é a alma de toda decoração. Por isso, forro de gesso no lavabo é essencial. Não abro mão. As casas e apartamentos que vêm prontos costumam vir com um mísero ponto de luz centralizado no teto do lavabo, e só.

Figura 27 – Forro de gesso com rasgo para vazar a iluminação – um dos recursos que podemos usar ao forrar o lavabo;

Com 50 reais o metro você forra com gesso  e tem liberdade para usar pontos de luz embutidos para valorizar o foco da decoração. Comprou um papel bonito? Luz decorativa nele. Dá até para criar um nicho de ponta a ponta no teto com a iluminação correndo dentro, e assim conseguir um ar de mistério super interessante.

Figura 28 – Exemplo do que vimos na feira de Milão este ano: fitas de led sendo usadas de forma cada vez mais criativa;

Não dá, hoje em dia, para falar de luz sem falar nas famosas fitas de led. Elas estão evoluindo e sendo usadas de jeitos mais criativos a cada ano. Tenho colocado fitas de led em quase tudo que é ambiente e, nos lavabos, especialmente nos espelhos. É assim: você pede ( de brinde, porque já gastou uma fortuna com ele!) para o marceneiro fazer uma caixa de mdf branca com um dente por dentro na volta toda e espaço interno para acomodar a caixinha do transformador. Daí você cola a fita nesta volta, do jeito que for valorizar o que você tiver vontade de mostrar mais ( embaixo, nas laterais, na volta toda…) e liga no ponto de luz que fica dentro deste espaço ( no caso de apartamento geralmente vem aquele ponto de arandela acima do espelho, se não puxa-se do forro).Então é só colar o espelho nesta caixa, tendo o cuidado de faze-lo levemente maior que a caixa para esconde-la. Fica uma luz discreta e, no lavabo, não há necessidade de luz forte.

Figura 29 – parede em pedra bruta com espelho em caixa de led e cuba preta;

Figura 30 – aqui a parede em pedra bruta é no fundo e a iluminação a valoriza;

Dois spots sobre a pia para maquiagem e mais as luzinhas decorativas e/ou a fita de led e só. Não precisa de ponto central de luz, ninguém vai ler um livro no lavabo.

Figura 31 – Iluminação em led usada de maneira bem moderna

7. O QUE FAZER EMBAIXO DA PIA?

Armário não, pelo amor de Deus. A não ser que visualmente haja necessidade.  Gabinete no lavabo só serve pra guardar pó e ficar com cheiro de cachorro molhado. Uma prateleira ou nicho de madeira, no máximo, ou só a superfície da bancada. E nela, use toda a sua criatividade em caixinhas, cestinhas, cheirinhos e objetos delicados.

Figura 32 – Prateleira colorida cai como uma luva, que linda!

Figura 33 – Só a bancada já é suficiente como superfície;

Figura 34 – Aqui cheirinhos e sabonete líquido em bandeja; prateleira para armazenagem embaixo e destaque para a parede forrada de seixos;

Figura 35 – Neste caso há porta-toalha, mas colocado na bancada, de modo mais criativo;

Não tenho mais colocado porta toalha em lavabo. Todo mundo está usando ou toalhinhas descartáveis ( quase guardanapos de papel chiques, super práticos) guardadas em caixinhas abertas em cima da bancada, ou toalhinhas pequenininhas que você usa uma vez e joga dentro de uma cestinha ou caixinha para lavar. Sabonete líquido, sempre. E um hidratante para as mãos combinando fica delicado.

Figura 36 – Plantinhas ficaram lindas nesta prateleira de mármore alinhada com o rodapé, adorei;

Figura 37 – Moldura de madeira para esquentar o ambiente;

8. TENDÊNCIAS

Como este ano teve  Salone Bagno na feira de Milão ( a maior mostra de decoração do mundo, e que em anos pares tem uma super feira de banheiros), não tenho como não comentar um pouco as tendências que detectamos. As cubas altas, parecendo baldes e muitas vezes indo até o chão, são a bola da vez. Composições assimétricas, com espelho pra um lado e bancada pro outro, também imperaram, juntamente com a já comentada ampliação do uso das fitas de led na iluminação.

Figura 38 – Bancada baixa com cuba alta; Cores escuras nas cubas;

Figura 39 – Cubas até o chão entre os principais lançamentos; nas duas da direita há armazenagem escondida!

cubas com armazenagem surpresa e cores vibrantes - boas para banheiros pequenos

9. PRIORIZAR É TUDO

Por fim, é claro que não dá para fazer tudo isto que mostrei aqui num lavabo só. Vira árvore de natal e dá a impressão de falta de foco e excesso de ostentação, pecado mortal na decoração ( e na vida também).

Figura 40 – Lavabo ou jardim? Adoro.

O segredo, como em toda a decoração, é decidir quem é a estrela e quem são os coadjuvantes, e fazer o olhar da visita parar primeiro na estrela, depois notar os coadjuvantes como pequenas surpresas. Desta maneira não tem como errar!

Figura 41 – Vintage bem humorado, amei o coelho;

Chega! Se deixarem fico o dia inteiro aqui postando fotos de lavabos incríveis. Até a próxima!

Figura 42 – Lousa! Adorei. E reparem no forro maluco.

Figura 43 – Paredes cobertas de madeira dão um aspecto de nobreza e a cuba super moderna com espelho clássico ficaram demais.

Salone 2014 – dia 3 – quinta feira

Dia de ver o Salão do Móvel propriamente dito.

Num primeiro momento o que percebi é que as empresas estão mais corajosas, em relação ao clima de sobriedade por conta da crise econômica que rolava forte na Europa no ano passado. Cores e ousadias tiveram mais presença, mas ainda tudo em materiais de uma maneira geral acessíveis e desenhos de forte tendência multifuncional, características condizentes com a ressaca da crise.

Em termos de cores, ano passado antes de chegar na feira li que seria o ano do rosa. Foi, para mim, o ano do azul, mas o rosa e suas variações chegaram agora com toda força. Este foi sim, sem dúvida, o ano do rosa, do rosê, do nude rosado, do rosa arroxeado, do pêssego, do salmon, enfim, de todas os modos possíveis de usar o rosa. Mas ele não reinou sozinho. Estava tudo bem colorido. A base ainda girando em torno dos cinzas permanece e temos um monte de amarelos, verde oliva, bastante azul, especialmente azul escuro nos sofás, o que não apareceu tanto ano passado. ( Ano passado o azul reinou, mas mais na laca, nem tanto nos estofados).

Rosados e cinzas dominando

A estante abaixo tem vários elementos atuais: a cor, os vãos desiguais para dar ritmo; uma linha de nichos fechados, as prateleiras fininhas. Linda para usar como divisória de ambientes ou super diferente para fazer uma bilblioteca ( neste caso acompanhada das onipresentes fitas de led).

estante com ritmo

O sofá rosa é um “statement” bem forte, sei que não é todo mundo que topa. Mas que está na moda, não tenho dúvidas. Este por exemplo tem uma modulação bem interessante e também adorei o elemento vazado atrás.

modulação, cores da moda e elementos vazados

Vi vários tapetes bonitos e interessantes. Amo de paixão tapete listado, e este abaixo é uma variação do listado que achei lindo e interessante:

Este tapete foi amor à primeira vista

No quesito marcenaria, já mencionei nos dias em que fui nas feiras de banheiros e cozinhas, mas tenho que reforçar: as cavas continuam com tudo. Especialmente nas superfícies laqueadas, que aceitam maiores acrobacias, vi um monte de cava interessante.

Cavas muito legais 1

cavas muito legais 2

Esta cava acima é nada mais que uma frente de gaveta menor colada em cima de uma frente maior, e ficou com um movimento muito legal. Abaixo uma levantadinha tão fininha que parece papel ( na verdade é uma chapa metálica ) e todo mundo fica olhando desconfiado, parece que a frente tá descascando….rs

cavas muito legais 3

A marca Meritalia veio com um monte de mesas com pés maravilhosos e intrigantes, como esta:

Amei esta mesa da Meritalia

Na área da iluminação, como este ano não teve Euroluce, não tivemos aqueles Stands enormes e super completos. Reparei muito na repetição de lustres em cachos, que já comentei ontem, e na grande quantidade de pendentes com armações metálicas visíveis, como se fossem esqueletos, em volta da lâmpada. Mas em termos de peça isolada não tenho como não mostrar este lustre que parece um chapelão de mulher antiga. Ele estava em TODAS.

Lustre moda oficial da feira: estava em todas!

Adorei estas prateleiras para livros que dão a impressão que você andou bebendo, mas na verdade são brilhantes: O ângulo faz com que os livros não fiquem caindo. Leves no visual, porque são feitas de chapa metálica finíssima com um detalhe de madeira, elas aceitam várias cores.

Porta-livros / ilusão de ótica!

Rosas, rosinhas, rosões, berinjelas e beterrabas….

Cores da moda

Bela composição, belas cores, bela volumetria.

Amei as cores e a leveza

Amanhã tem mais! Último dia!

Salone 2014 – dia 2 – quarta feira 9/4

Segundo dia. Começamos pela Eurocucina, simplesmente a mostra mais legal do mundo para mim. 4 pavilhões lotados de todos os ítens possíveis para a cozinha e para cozinhar, vários espaços com chefs dando aulas e fazendo comidas diferentes, armários super modernos, coifas malucas, apetrechos mil. Uma delícia.

Coragem!

Haja pique. Andamos MUITO. Vários bandaids em cada pé. Difícil condensar as principais inovações, mas vou tentar. Seguem algumas ideias que me chamaram a atenção:

Cores e volumes

Nos armários prevalece o domínio da assimetria. Diferenças entre as larguras e alturas desencontradas, dando ritmo ao jogo de aberto e fechado e quebrando a rigidez. Aliás, o jogo de aberto a fechado que já dava sinais, mas mais tímidos, na última versão da mostra chegou ao seu apogeu este ano. Tudo é desigual, tudo é organizado de modo a desestabilizar nosso olhar, acomodado no “conforto” da simetria que imperava antigamente.

Aberto x fechado

Junto à assimetria de aberturas e com os nichos abertos estrategicamente colocados, entram as diferenças de cor. A união da laca, fosca ou brilhante, com a folha de madeira natural e o vidro permanecem em alta, mas este ano vi em muitos ambientes mais de uma cor de laca. Eu tenho o costume enraizado de usar, em uma cozinha, uma cor de laca, uma de madeira e uma de vidro. Percebi nesta feira que meu dogma já era! Eles conseguiram usar até 3 cores de laca na mesma cozinha sem ficar brega, muito pelo contrário.

Alturas variadas e degradê de cinzas + madeira

Degradê de 3 tons de cinza junto com madeira. Me encantou, que lindo!

Degradê de cinzas em laca brilhante e aberto x fechado

Outro elemento que já comentei no post sobre os banheiros foram as prateleiras e nichos fininhos, muitas vezes tão fininhos que só podem ser feitos de metal pintado. No exemplo abaixo os vemos na cor do ano, o rosê, em laca, junto com uma laca café com leite mais escurinha e a branca.

Volumes assimétricos, aberto e fechado, rosados bombando

As portas de vidro basculantes com acionamento automático vi em vários stands também. Não sei dizer se são realmente práticas, mas são interessantes e bonitas.

Abertura de portas superiores estilo vários mini-basculantes

Aberto x fechado em laca índigo ( o azul marinho acinzentado que está bombando) e madeira clarinha. Combinação elegante e que dá a um móvel que poderia ser super pesado e escuro uma leveza  bem vinda.

Combinação diferente

Reparem na foto acima, à direita do móvel em destaque, a textura da frente dos gavetões em laca branca, com ondas.

Ilha que anda e abre sozinha: incrível!

Esta ilha é simplesmente incrível. Fechada parece uma grande caixa, toda fechada, de madeira escura coberta por um tampo sólido branco. Com um toque do controle remoto as duas partes dela andam sozinhas! Em um lado aparece o cooktop e armários, sendo que a coifa sobe atrás do cooktop quando ele aparece, e do outro lado aparecem a pia e a máquina de lavar louça!

É incrível, sensação da arquitetaiada toda! Tudo bem que você tem que ter uma cozinha de uns 100m2 para ter uma destas, mas que a ideia é um desbunde não se discute!!!

Ilha automática abrindo!

Aqui dois tons de laca cinza ( sempre ele ) combinadas com a laca amarelo ovo e madeira clara. Reparem nos lustres com armação metálica aparente envolvendo a lâmpada, hit de iluminação deste ano em que não temos Euroluce.

Lustres com armação de metal, cores, aberto x fechado

Aqui temos laca branca com madeira e silestone branco, clássico e certeiro. Mas o armário superior tem um jogo de frisos desiguais em um padrão que quebra a rigidez do conjunto e fica um belo foco sem perder a classe nem cansar.

Padrão de frisos no armário superior dá o "tchans" numa composição sóbria

Abaixo, como já havíamos visto nos armários de banheiro, armazenagem lateral aberta, uma surpresa interessante num móvel grande e pesadão.

Armazenagem lateral

Estante fofa com caixas coloridas. Ideia versátil e fácil de ser imitada com cores mais sóbrias se o cliente não topar tanto carnaval.

As fitas de Led permanecem em alta na cozinha também e vimos várias ideias inusitadas. A mais bonita para mim e que vi em vários ambientes foi o uso da fita dentro da cava, dando a volta nas ilhas. Na verdade há um espacinho entre o tampo, cortado em 45 graus, e a cava propriamente dita. O efeito é demais, parece que o tampo está flutuando.

Fita de Led dentro da cava da ilha

As fitas de led abaixo dos armários superiores continuou reinando absoluta, como na composição abaixo, super elegante:

Composição elegante

As ilhas e armários com pedaços vazados dão sensação de leveza mas temos que tomar cuidado para não ficarem com cara de bagunça. As de canto dominaram. Repare que a estrutura da ilha tem que ficar por dentro, deixando o canto com o tampo em balanço.

Canto vazado e laca rosê

Coifas de todos os tipos. Esta parece um lustre e achei uma graça, super delicada:

Coifa que parece lustre

Outra coifa bonita

Se não há tanta necessidade de armazenagem uma opção é brincar com a altura do armário com a torre do forno:

Proposta de torre de forno com altura intermediária e um toque de cor

Cozinha discreta com coifa louca

Amei esta cozinha, linda e com apelo orgânico

Após um dia inteiro vendo cozinhas e chefs cozinhando, toca pro calçadão do Duomo pra comer uma massa e tomar um vinho que a gente merece! Boa noite e amanhã tem mais feira!

Após um dia inteiro em pé, carbonara de verdade e vinho tinto. Comfort food elevada ao máximo!

Salone 2014 – dia 1 – terça feira 8/4

Terça feira. O salão abre às 9 horas, mas resolvemos dormir um pouquinho mais  e chegar às 11, porque a fila que se forma na hora que o salão abre é algo surreal. Pegamos o metrô para a estação RHO Fiera. É bem cômico porque eles deixam um trem do metrô exclusivamente para a feira, então a gente vê aquele trem lotado de gente esquisita ( só arquiteto e decorador, imaginem), muitos com aquelas roupitchas no estilo “olhem como eu sou alternativo, eu trabalho com decoração!!!” Entramos na feira por nosso acesso secreto ( descobrimos ano passado que no andar de cima tem uma porta que fica vazia e a de baixo bombando…), e entramos na estrutura super modernosa. 24 pavilhões de novidades na nossa frente. Adoro.

Entrada do salão

Para começar “light” e aguentar o tranco mesmo com jetlag, entramos nos pavilhões de banheiros, o chamado “Salone Bagno”:

Mapa do Salone : a parte de banheiros é a verde.

Achei que os banheiros estavam com novidades bem uniformes, ou seja, deu para perceber realmente as tendências, porque os elementos  de estilo se repetiam com regularidade na maioria dos stands.

Assimetria nos espelhos; espelhos sempre com caixa de luz, e mistura de materiais.

Nas bancadas, assimetria é a palavra de ordem. Não vi, nenhuma vez, espelhão cobrindo toda a parede. Espelhos menores, deslocados do centro, MUITA fita de led, mas usados de modo diferente do que estava rolando ano passado; mistura de materiais; arandelas assimétricas e em soluções diferentes do normal; composições com prateleiras fininhas e painel misturadas com caixas fechadas, e penduradores de toalhas/acessórios mais personalizados.

Banheira freestanding e cacho de lustre.

Ao voltar ao Brasil nem lembrava mais que existia lustre sozinho! Cachos de lustres dominaram, duplas e trios por todos os lugares, com destaque para composições nos cantinhos dos ambientes.

Banheira freestanding e cacho de lustre 2.

Jogo de espelhos com uma surpresa...

A caixa do espelho é um armário!

Alturas diferentes, materiais diferentes, leds por toda parte, prateleiras fininhas idem

Cuba escavada e gavetão com cava iluminada por dentro, que bombou loucamente: 45 graus no tampo E na frente, com a fita de led colada dentro do 45 graus. Detalhe para o veio que desce da cuba até embaixo, que lindo.

Banheira com a lateral preenchida com nichos de Corian – amei

Outro detalhe que vi demais e fica bem bonito foram as cubas mais altas, de apoio, com jeito de “balde”. Como elas têm que ficar na altura ideal para lavar a mão, que é de 85 a 90cm acabados, as bancadas ficaram mais baixas, junto com os armários “bagunçados” e as onipresentes  prateleirinhas fininhas.

Cuba estilo “balde” com bancada baixa e gavetões na perpendicular

Os armários de banheiro, antes restritos à area abaixo da pia, ganharam perfil mais vertical e jogos criativos de aberto X fechado. O contorno fininho permanece, muitas vezes tão fino que só podem ser feitos com chapas metálicas pintadas.

Armários verticais, coloridos e com jogo de aberto X fechado
Tudo bagunçado, mas a bagunça fica bem charmosa
Laca estampada. Neste caso bem over, mas a ideia é show.

Fila de cubinhas mostrando tendências em cores: uma mais linda que a outra

As cubas de apoio seguem dominando, agora com a variação de alturas guiando várias alturas novas de armários, e as cores estão bem variadas, oscilando desde os tons naturais com textura de pedra até esta gama de verdes e fendis que achei o máximo.

Cubas que já são armário

Harmonia na composição e no pingo de cor certeiro

Armário embutido no dry wall, gostei da cor e da proporção

Cuba linda

Outro balde. Reparem na canaleta charmosa e versátil de madeira e na bela combinação de cores. Entendo que a maioria destas ideias se aplica a banheiros bem grandes, mas acho que, com criatividade, é possível aplica-las em banheiros pequenos também, mal posso esperar para começar a usa-las!

Conceito muito interessante de containers versáteis

Guia de uso dos containers: pia, banco, caixa....muito legal

Antes que este post fique comprido demais, vamos parar por aqui. Amanhã dia de Eurocucina! Vou dormir para aguentar o tranco!

Salone 2014 – Milão

Dia 1 – Segunda, 07/04/14

Estamos em Milão! Parece que foi ontem que viemos pela última vez e já faz um ano. Desta vez tomei a decisão de não pegar uma tonelada e meia de catálogos ( e depois brigar com a chata da Iberia que não me deixava embarcar com a mala mais pesada que um fusca – aliás minha outra decisão foi nunca mais andar de Iberia ! ) e vou tirar fotos de absolutamente tudo o que me chamar a atenção.

Chegamos, de British, o vôo foi ótimo, nós duas cansadas mas empolgadíssimas, e fomos para o nosso tradicional hotelzinho. Largamos as malas e pegamos o metrô para dar uma volta no centro.

Duomo, seu lindo!

Falamos “oi” para o Duomo, que nunca deixa de me surpreender. Posso subir cem vezes a escadinha do metrô na frente dele que levo um susto quando vejo tanta beleza e riqueza de detalhes… demos uma volta lá dentro ( andamos por tudo devagar,  passando meio mal de tão espetacular que é o visual gótico com a imponência típica no estilo “Olha como Deus é gigante e te esmaga, sua formiguinha desprezível!”).

Depois de uma volta no quadrilátero da moda e uma passada na livraria Armani ( amo!), onde compramos livrinhos de arquitetura, comemos e pegamos um táxi porque amanhã o dia vai ser longo!

Decidi que não há melhor backup para as fotos preferidas que o Blog, portanto a partir de amanhã vou subindo as melhores!

Beijos a todos!